Livros para viajar

***

UM BAR CHAMADO SAMANÁ: UMA VIAGEM PARA RECORDAR.

Lançamento em breve, aguarde!







Autora: Meg Mamede






O que fazia um brasileira num bar em estilo irlandês com nome dominicano em pleno País Basco? Pois, tomava o melhor café da região enquanto lia os jornais, conversava com as pessoas e alimentava sonhos. Ela tinha por projeto um livro, onde as histórias daquela viagem se entrelaçavam com sua história de vida e das outras pessoas. Histórias presentes na memória que esperavam ser ordenadas, ou não, para cairem na rede ou irem para o papel. Mas isso não é tão simples assim, um livro é como um filho, não é possível pular etapas: concepção, gestação, nascimento e todos os cuidados dispensados às crias. Um bar chamado Samaná: Uma Viagem para recordar  não é um embrião e aos poucos será conhecido aqui. Aguarde!

***

AS VIAGENS DE ALICE




Autora: Alice Steinbach

Editora: Benvira

Há alguns anos, Alice Steinbach, jornalista ganhadora de um prêmio Pulitzer, decidiu dar uma pausa em sua vida. Tirou uma licença de seu trabalho, deixou seus amigos e sua família para se dedicar a uma jornada de autoconhecimento pela Europa. Essa viagem resultou em seu primeiro livro: 'Sem reservas'. Mas, uma vez que Alice enxergou uma nova maneira de viver, ela se viu sem vontade de voltar para sua velha rotina. Pouco tempo depois, deixou o emprego e foi viajar de novo, só que desta vez seu objetivo não era tanto a auto-descoberta, mas um aprendizado. Um aprendizado não só com aulas e cursos, mas também pela ligação com as pessoas que iria encontrar ao longo do caminho. Escolher exatamente para onde ir e o que estudar acabou sendo mais difícil do que ela havia imaginado, mas Alice escolheu os interesses e as fantasias que tinha alimentado durante a juventude. Assim, seu fascínio ao longo da vida com a escrita, os animais, a jardinagem e os alimentos a levou a estudar adestramento de cães na Escócia, escrita em Praga, jardinagem em Provença, caligrafia e arranjos florais em Kyoto, música em Cuba, culinária em Paris e Jane Austen no Reino Unido.


***

VIAGEM PELA ESTRADA DE FERRO CENTRAL DO BRASIL




Autora: Helena Guimarães Campos

Editora: Fino Traço




Túlio é um adolescente que, junto com sua família, faz uma viagem para conhecer a antiga capital de Minas Gerais: Ouro Preto. Toda a família embarca no trenzinho turístico que liga Mariana a Ouro Preto e que antigamente pertencia à Estrada de Ferro Central do Brasil. Mas, durante a viagem, Túlio vive uma experiência incrível: ele volta no tempo, para o ano de 1950. Como Túlio descobriu que havia voltado ao passado? Como era a viagem de trem naquela época? O que ele achou da Ouro Preto da metade do século XX? Afi nal, por que Túlio fez essa viagem ao passado? Será que aquele era um trem fantasma? E será que ele conseguirá voltar ao século XXI? Embarque nessa viagem cheia de surpresas e aventuras e descubra como a ferrovia estava presente no dia a dia das pessoas.


***
COMO UM REI NA FRANÇA


Autor: Amaury Temporal

Editora Record

Quando o ano se aproxima do mês de julho, Amaury Temporal e sua mulher, Maggy, começam a programar a suas férias para o mês de dezembro. O destino? França, sempre. Porém, nunca da mesma maneira. A cada viagem ao país, procuram conhecer um novo local. Dessas experiências, surgiu Como um rei na França, terceiro livro de uma série que começou com “De Vinhos e Rosas” (1992) e seguiu com “Bom Tempo na França” (2004).

Com esses relatos, o autor narra o que chama de “França profunda”, suas pequenas cidades, aldeias e sua gente. Enquanto Amaury se dedica à gastronomia, enologia, feiras livres, mercados e produtores, Maggy se foca nos castelos, igrejas, monastérios e monumentos em geral. As regiões visitadas são Sévérac-le-Château, Fréland, Megève, Neuil, Magny-le-Freule e Cluny.

Uma França de fazendas e cidades medievais durante o período de inverno. Em muitos momentos, com temperaturas negativas. Nada que a lareira da casa não resolva. E que vizinhos agradáveis não possam ajudar, limpando a neve, para que não se perca o jantar no restaurante Auberge de L’Ill, reservado dois meses e meio antes. Tudo pela apreciação da bonita vista do alto da colina do castelo-fortaleza de Chinon, dos jardins famosos de Villandry, das altas muralhas e torres pontudas da fortaleza de Langeais e da arte românica na Abadia de Fontevraud. Ou, simplesmente, de um bom queijo da Normandia acompanhado de vinhos com ótimo custo-benefício.

*** 

UM BRASILEIRO EM BERLIM



Autor: João Ubaldo

Editora: Objetiva



Um dos nomes mais reconhecidos da literatura brasileira na Alemanha, o imortal João Ubaldo Ribeiro foi convidado pelo DAAD, um programa de intercâmbio alemão, para realizar um roteiro literário pelo país. Assim que chegou à Alemanha em 1990, o escritor baiano ganhou uma coluna no jornal Frankfurter Rundschau. O resultado foram crônicas bem-humoradas reunidas no livro Ein Brasilianer in Berlin, sucesso editorial naquele país. No Brasil, a temporada de Ubaldo no país de Goethe repetiu o êxito alemão. Lançado originalmente em 1995, Um Brasileiro em Berlim faz um registro impiedoso, divertido e inteligente da experiência de ser brasileiro num país culturalmente tão diverso.

Ao longo das 16 crônicas escritas durante os 15 meses em que permaneceu na Alemanha, Ubaldo, com sua habitual ironia, aborda os estereótipos associados ao brasileiro como um povo sexualmente libertino e o contrapõe à sisudez, também estereotipada, do alemão, lembrando que na Alemanha a nudez pública é tratada com mais naturalidade do que em terras tupiniquins.


***

TREM NOTURNO PARA LISBOA



Autor: Pascal Mercier

Editora: Record


Fenômeno editorial na Alemanha — onde ultrapassou a marca de dois milhões e meio de exemplares vendidos e ficou anos nas listas dos principais veículos —, TREM NOTURNO PARA LISBOA extrapolou as fronteiras da literatura. Terceiro romance de Pascal Mercier, na verdade o professor de filosofia Peter Bieri, ganhou ares de expressão idiomática, usada para designar mudanças de vida. Mercier cria um personagem emblemático, o português Amadeu do Prado. Herói literário com o único objetivo de retratar seu criador. Invenção tão perfeita, que, nos últimos anos, muitos estrangeiros se deslocam para terras lusitanas em busca do escritor fictício.

Tudo começa numa manhã chuvosa, quando Raimundo Gregorius, um homem culto, professor de línguas clássicas, impede que uma mulher se jogue de uma ponte em Berna. O professor se encanta com os sons do balbucio incoerente da suicida. Ao questionar que língua é aquela, fica sabendo se tratar do português. Hipnotizado pela musicalidade do idioma, acaba por comprar um livro do autor português Amadeu Inácio de Almeida Prado, intitulado Um ourives das palavras. Uma reflexão sobre as múltiplas experiências da vida: solidão, finitude e morte, amizade, amor e lealdade.

Fascinado por Prado, Gregorius tenta compreender o misterioso escritor, um médico que morreu 30 anos antes. A obsessão o faz largar sua rotina bem organizada e pegar o trem noturno para Lisboa. Numa descoberta do outro que acaba por ser uma descoberta de si próprio. Ao longo das investigações que o levam pelas vielas da capital portuguesa, ele encontra pessoas que conheceram Prado. E constrói a imagem de um médico e poeta admirável, que lutou contra Salazar. Gozou de enorme popularidade até salvar a vida de um oficial da polícia secreta. Depois disso, as pessoas que o veneravam passaram a evitá-lo. Na tentativa de se redimir, trabalhou para a oposição clandestina.

Gregorius se descobre antítese de Prado, um homem inquieto, capaz de desafiar os pontos de vista ortodoxos. Agora, através de sua influência póstuma, o prudente professor é impulsionado a mudar. Mas o que significa conhecer outra pessoa, compreender outra vida? O que significa para o conhecimento de nós mesmos? É possível fugir da rotina? Este romance é uma epopeia multifacetada de uma viagem através da Europa e do nosso pensar e sentir.

***

ALMA BASCA



Autora: Ana Luiza Panyagua Etchalus

Editora: Alternativa

Ano: 2010





Alma basca é uma narrativa baseada em impressões pessoais sobre o país, Euskal Herria, sua história, sua língua e as tradições do povo basco. Tomando como ponto de partida uma busca pessoal, o livro carrega algumas informações sobre um povo misterioso. Em “Alma Basca”, Ana Luiza nos conduz com delicadeza e humor às curiosidades, características e peculiaridades do País Basco, e comenta a trajetória compartilhada por um grande número de famílias que chegaram ao Rio Grande do Sul via Buenos Aires e Montevidéu. Na edição estão distribuídos os dezesseis capítulos que abordam, entre outros aspectos, a geografia, a história de um dos povos mais antigos da Europa Ocidental, a diáspora basca, aspectos da cultura e os elos que ligam a América do Sul com o País Basco, localizado entre o Norte da Espanha e o Sudoeste da França. Para a realização do livro, Ana Luiza contou com acervo de familiares, obras adquiridas em suas viagens pelo País Basco, Montevidéu e Buenos Aires. Entre os descendentes mais conhecidos estão o líder revolucionário Che Guevara, e o ex-presidente brasileiro Emílio Garrastazu Médici. E para quem curte futebol como a autora comenta que nomes como Sorondo e Guiñazu revelam raízes bascas.

***

SOB O SOL DA TOSCANA



Autora: Frances Mayes

Editora: Rocco


Una bella villa. Durante muito tempo, Frances Mayes, professora americana, poeta e gastrônoma reconhecida, sonhou com a possibilidade de ter uma casa na Toscana. Qualquer uma. Bramasole foi a resposta a sua vontade de fazer parte, durante alguns meses por ano, da vida na província italiana. E não poderia ser uma resposta mais agradável. Um solar cor de abricó, com venezianas verdes, telhas antigas, balcões com gradis de ferro batido e patamares de terreno onde seria possível investir num pomar, na própria produção de azeite e até numa modesta vinícola.

Sob o sol da Toscana é o relato minucioso dos primeiros tempos de Frances e seu marido, Ed, em sua bella villa, às voltas com uma empreitada que se provou muito mais custosa e sacrificante do que parecia a princípio. Aqui os vemos derrubando paredes, consertando encanamentos, descobrindo antigas nascentes e até um afresco original. Aqui os vemos, completamente entregues ao prazer de receber amigos para uma refeição leve, à sombra de árvores frondosas, sobre toalhas de linho, ou em passeios pela cidade vizinha de Cortona, uma pequena jóia medieval. Ou ainda elaborando um minucioso roteiro turístico, em que a Toscana é literalmente esquadrinhada, para satisfação do leitor.

A proposta poderia fazer lembrar, aos mais desavisados, a do livro de Peter Mayle, Um ano na Provence. Fora o mesmo ímpeto de morar num país que não é o seu, porém, as semelhanças são tênues. Enquanto Mayle faz de sua Provence um lugar em que a joie de vivre é a marca essencial, e carrega no humor, Frances Mayes investe no lirismo e no olho sábio de quem sabe transformar o prazer de comer em conselhos e dicas, para quem gosta de partilhá-los.

Leitora perspicaz, Mayes fala de D. H. Lawrence, Keats, Virgílio e Flannery O?Connor, interessa-se pela vida dos santos e entremeia suas memórias com a infância passada no Sul dos EUA, onde sua família era dona de fazendas. A Toscana que surge em seu livro não é apenas um lugar delicioso, que vai nos envolvendo, à medida que viramos as páginas. É um lugar cujas raízes são esmiuçadas, explicadas, investigadas com fina observação antropológica, tornando a viagem, além de deleitosa, instrutiva. Como bem definiu a Booklist americana, eis um livro que possibilita a "mais perfeita viagem sem sair de casa".       

***
O ALVORECER DO PURUNÃ: DIÁRIOS DE UM IMORTAL EM VIAGENS PELA HISTÓRIA




Autor: Carlos Roberto Solera 

Editora: Nouvelle

Ano: 2010





Será o homem um espírito imortal? Somos uma unidade humana com sentimentos espirituais, ou uma essência espiritual em uma roupagem humana? Vivemos uma única vida? Ou muitas são as nossas passagens por este mundo? Esta obra, com inúmeros relatos históricos, outros de origem espiritual, e ainda com a contribuição da alma poética do autor, conta a história de um espírito imortal que atravessa os mais de 500 anos da história do Brasil, desde a primeira viagem de Colombo para a descoberta da América, depois pelo alvorecer e trilhar do Tropeirismo, até chegar aos dias atuais. Carlos Roberto Solera, historiador apaixonado, nos traz, no decorrer desta história, uma proposta de reflexão sobre a dimensão infinita do ser humano e os “valores” que vêm sendo abraçados pela humanidade, naquilo que conhecemos como VIDA! Um verdadeiro desafio ao seu raciocínio e um maravilhoso presente para o seu prazer de leitura. Esta é uma aventura como você jamais imaginou viver... E que jamais vai esquecer!

***

TERRAMAREAR - AS PERIPECIAS DE DOIS TURISTAS CULTURAIS



Autores: Ruy Castro e Heloísa Seixas

Editora: Cia das Letras







Em textos divertidos e instrutivos, Ruy Castro e Heloisa Seixas contam histórias das viagens que têm feito nas últimas décadas, sempre inspirados pelo espírito dos lugares — a cultura das ruas pelas quais passeiam e suas relações com a história, a arquitetura, a música, o cinema e a gastronomia. Quando viajam pelo Brasil ou ao exterior, a passeio ou a trabalho, juntos ou separados, Ruy Castro e Heloisa Seixas procuram o espírito dos lugares. Para isso, antes de partir, leem livros, ouvem músicas e assistem a filmes sobre a região que vão visitar. Chegando lá, são capazes de traçar roteiros originais, que agora compartilham com os leitores em Terramarear. A Paris da Revolução Francesa, a Veneza ou a Roma dos clássicos do cinema, a Barcelona de Gaudí, a Saint-Tropez que inspirou pintores, a Berlim de surpresas e transparências e uma Sevilha de conto de fadas são alguns dos relatos desses dois turistas culturais, também incansáveis flâneurs pela cidade em que vivem — o Rio.

***

ITÁLIA; PRESENTE E FUTURO.





Autor: João Fábio Bertonha

Editora: Contexto





Para nós, brasileiros, a Itália não é um país qualquer. Milhões de descendentes de italianos vivem aqui. E milhares de brasileiros vivem por lá. Entre idas e vindas, brasileiros e italianos são percebidos pelo mundo como igualmente apaixonados, algo desorganizados, sedutores, um pouco machistas, não muito sérios, apegados à família. Aqui e acolá, temos um histórico nada recomendável de apoio a políticos populistas e demagógicos, de direita, esquerda ou centro. Além disso, a Itália de hoje - com população envelhecida e baixa natalidade - pode ser o Brasil de amanhã. O autor, que morou algumas temporadas na península e vivenciou o dia a dia do país, nos leva à Itália atual e mostra os desafios para os próximos anos.

***

DE VOLTA À ESTAÇÃO FINLÂNDIA






Autor: Daniel Aarão Reis Filho

Editora: Relume Dumará





Este é um diário de viagem. Um relato da história contemporânea. Um livro de aventuras. É a história, deliciosamente bem contada, de uma viagem de trem, através da Alemanha, Polônia, Lituânia, Rússia e China, ao encontro do socialismo perdido. Em 1989, cai o muro de Berlim e, em 1991, a União Soviética se desintegra. O mundo já não era mais o mesmo. Restavam poucos países para contar a história do socialismo real. O leste da Europa entrava de cabeça no capitalismo e conhecia as vantagens e desvantagens do sistema. Nesse diário sobre a viagem em que percorreu, entre outros lugares, Cracóvia, na Polônia, Moscou e Pequim, o historiador Daniel Aarão Reis Filho nos revela aventuras e desafios, mas principalmente as mudanças econômicas e políticas pelas quais os países da então chamada Cortina de Ferro estavam passando. Sem dúvida, um dos livros mais interessantes para conhecer um pouco do fim do socialismo real no início da década de 90.

***

O VIAJANTE DO SÉCULO




Autor: Andres Neuman

Editora: Alfaguara






Alemanha, século XIX. Na cidade de Wandernburgo, um viajante enigmático desce de sua carruagem e bate à porta de uma pousada. Hans pretende descansar e continuar sua jornada, mas logo é atraído pela cidade cujas ruas parecem mudar de lugar a cada dia. Quando está prestes a partir, a sabedoria de um velho tocador de realejo faz com que, intrigado, fique mais alguns dias. Hans se dispõe a ir embora novamente, mas conhece a inteligente e insinuante Sophie, por quem se apaixona. No entanto, há uma questão que se coloca entre eles - ela foi prometida a um membro de uma das famílias mais notáveis do vilarejo, e qualquer mudança de rumo trará consequências fatais.

*Livro que comprei na Espanha e li em 2010, trama interessante o autor esteve na FLIP 2011.

***

GUIA DE VIAGEM: CULTURA E MUNDO CONTEMPORÂNEO




Autora: Maria Luiza Vitule

Editora: Unimarco



Segundo a autora, a proposta desse guia é colocar o leitor em contato com uma realidade que se constrói e se transforma, de acordo com o movimento do mundo. O ponto de partida do livro se dá com a navegação de Cristóvão Colombo para o continente americano, já a chegada, encontra-se na viagem virtual, que se realiza de acordo com a escolha do viajante do mundo contemporâneo.

A idéia da obra é fazer o leitor compreender as formas de sociabilidade que predominam na atualidade, levando em conta o contexto histórico, político, econômico e social que as configuram. "Os capítulos tratam o tema da viagem a partir das relações entre sociedade e cultura, procurando refletir a respeito das semelhanças e diferenças existentes entre indivíduos", esclarece.

Para José Carlos Libâneo, professor da Universidade Católica de Goiás e autor do texto de apresentação do livro, a obra de Maria Luiza Vitule realça nos estudos sobre o turismo a reflexão sociológica e política, tendo em vista o embasamento da proposta pedagógica do curso nessa área e, com isso, da própria formação do aluno.

"Ao trabalhar o tema da cultura na reflexão do turismo e, mais precisamente, os temas da diferença, do pluralismo cultural, do colonialismo e do neo-colonialismo, inserindo o turismo no quadro das relações sociais globais e locais, a autora traz uma contribuição para formação de alunos e pesquisadores, acreditando que atividade turística é uma forma de produção cultural", esclarece José Carlos.

O título é o produto das aulas oferecidas por Maria Luiza Vitule aos alunos do primeiro semestre dos cursos de Turismo e de Hotelaria da Universidade São Marcos, na disciplina Fundamentos das Ciências Sociais.

Segundo a autora, os questionamentos e as inquietações dos alunos possibilitaram-na sistematizar algumas preocupações, como também realizar a escolha e o tratamento dos temas abordados. "De certo modo, este livro é um produto coletivo", conclui.

***

VIAGENS CONTADAS





Autor: Maria João Ruela

Editora: Esfera Livros





Viagens Contadas, da jornalista da rede de TV portuguesa SIC Maria João Ruela e editado pela Esfera dos Livros, é um livro de viagens, mas daquelas feitas sem guia, “ao sabor do seu tempo, da vontade e da curiosidade”. Da Patagónia ao Nepal, passando por Marrocos, Noruega e Ucrânia, a autora dá-nos a conhecer diversos destinos, mas também as pessoas que vai encontrando pelo caminho. «“As montanhas são sempre tristes e gélidas antes de o nascer do sol. A neve sem luz exala um desconforto frio, que dá vontade de fugir em vez de me aproximar. Foi assim que olhei, pela primeira vez, para as pirâmides sentinela dos Annapurnas, massas gigantes de neve e gelo (…)” Maria João Ruela viaja sempre com um caderno de notas na mochila. O seu bem mais preciso. É aí que vai anotando tudo o que os olhos registam, lugares que encontra perdidos no mapa e que lhe marcam a alma, paisagens que a deixam sem fôlego, o preço de um café em determinado canto do Mundo, o nome de um vinho que acompanha uma refeição especial, as pessoas com que se cruza, as palavras trocadas. Cada uma das suas viagens, feitas sem guia, ao sabor da vontade e da curiosidade, tem personagens próprias, cheiros e sabores, sentimentos e emoções. Convidamo-lo a viajar ao longo destas páginas para conhecer Juana, uma mulher bonita e vistosa, que em Punta Arenas, Chile, aluga 12 quartos decorados em estilo art noveau e serve cafés a viajantes perdidos. Armad, o pastor que apareceu no meio dos Pirenéus, como um autêntico salvador, quando se abatia um autêntico dilúvio de proporções bíblicas. A Xana e o Nuno companheiros de viagem em autocaravana pela Noruega. Ou, Porter, um rapaz de pele escura e cabelo liso sem jeito, um aspirante a guia que, no Nepal, se tornou carregador e companheiro de esforço.»

***

PROFISSÃO VIAJANTE


Autor: João Ricardo Coelho

Editora: Caras







Viajante desde os 14 anos, João Ricardo Coelho foge dos roteiros comuns. Já passou pela Índia, Micronésia, Malásia, Tailândia, Seychelles, Mongólia, Egito... Nos países que visita, procura conhecer pessoas de todos os níveis sociais, pois acredita que só assim é possível aprender e entender a cultura do local. Na Mongólia, por exemplo, se hospedou em gers, tendas em lona grossa que servem de casas para os nômades. Se aventurou em um safári de balão no Quênia, onde sobrevoou leões, búfalos de catre, elefantes e hipopótamos. Mas foi na Turquia que viveu um dos momentos mais emocionantes de suas viagens aos 70 países que visitou. Lá, João Ricardo Coelho teve a oportunidade de tocar num pedaço da cruz onde Jesus foi crucificado e de se encontrar com o patriarca Bartholomeos, líder da Igreja Ortodoxa. A cruz fica guardada na parte interna da catedral, que não é aberta ao público.A idéia de escrever o livro surgiu há dois anos, quando o empresário decidiu dividir suas experiências com outras pessoas. Apesar de conter dicas valiosas, Profissão Viajante não é um guia em estilo tradicional. É um relato de viagens, onde o autor desvenda de forma coloquial e cativante os mistérios de diversas culturas, costumes e lugares. Para ilustrar o livro, João Ricardo Coelho convidou fotógrafos profissionais a participar de suas viagens, como para Filipinas e Mongólia. O empresário também conta como são os festivais que presenciou, como o Festival Folclórico de Parintins. Seu fascínio pelo Amazonas foi tanto que em 2000 comemorou seu aniversário, e os 500 anos do Brasil, num barco com amigos descendo o Rio Amazonas. A alegria e a diversidade dos festejos, como o Tinket, uma das maiores festas da Etiópia e o Festival de Dosaara, no deserto da Tunísia, conquistaram o viajante, que pretende desembarcar em breve em novas terras.

***
ENDEREÇOS DESCONHECIDOS





Autor: Tiago Salazar

Editora: Oficina do Livro





Tiago Salazar, passa a livro o muito bem-sucedido programa de televisão Endereço Desconhecido, editando uma homônima publicação que chegou no dia 8 às livrarias portuguesas. Editado pela Oficina do Livro, o livro apresenta de uma forma original e pessoal doze países da Europa, com especial incidência a leste, nomeadamente a República Checa, Bulgária, Eslovénia, Lituânia, Letônia, Estônia, Eslováquia, Polônia, Hungria, Romenia, Chipre ou Malta, para além dos menos "desconhecidos" França, Itália e Grécia. “Ver, amar, viajar são experiências do indizível, raízes e fundamentos da criação do mundo. No estado das coisas haverá sempre o preto e branco de Wim Wenders, Judas e Brutus, mas também a luz azul da Fada Oriana. Haverá sempre, e felizmente, um endereço desconhecido”, refere Tiago Salazar.
***

ENCONTROS MARCADOS


Autor: Gonçalo Cadilhe

Editora: Clube dos Autores 






As respostas a estas e a tantas outras perguntas estão no novo livro do escritor, Encontros Marcados. Neste seu regresso às livrarias nacionais, Gonçalo Cadilhe revela as circunstâncias que o tornaram o maior viajante português da actualidade e desvenda alguns dos momentos marcantes que lhe incutiram e continuam a incutir o gosto pela aventura e pelo desconhecido. Da primeira viagem sem os pais, numa saída dos escuteiros, à tomada de decisão quanto ao rumo a seguir terminado o curso de Gestão, Gonçalo Cadilhe recupera neste livro memórias antigas, conversas que o transformaram enquanto ser humano, episódios nunca narrados, objectos que fazem parte do seu passado enquanto escritor e enquanto viajante. Pelo meio, mais de duas dezenas de fotografias ilustram os momentos relatados. Malaca, Xi’an, Huahine, Banguecoque são aqui revisitadas assim como o são a Figueira da Foz, Coimbra e Cantanhede. Encontros Marcados não é, porém, apenas mais um livro de viagens, é o desvendar da força do destino por detrás da longa jornada que é a vida. «O livro que segue tem implícito um dos maiores mistérios da Humanidade: o da nossa própria vida se tivéssemos sido outra pessoa. Ao olharmos para o que somos, não podemos acreditar que esta era a única possibilidade que tínhamos. Desde os traumas da primeira infância, que nem recordamos, mas que nos fazem ter claustrofobia, agorafobia, pavor dos ratos ou, no meu caso, nojo da cebola crua; às desilusões de amor ou às vitórias desportivas da escola primária; passando pela letra de uma canção; as sugestões de um livro; ou uma máxima que recebemos de um professor universitário; entre tantos, tantos outros exemplos, tudo terá deixado a sua impressão sentimental no conjunto homeopático que nos constitui.» Gonçalo Cadilhe, in Nota Introdutória

***

OUTONAL - UM AMOR DE VIAGEM PELA EUROPA




Autor: Karlos Rischbieter

Editora: Kafka






"Outonal – Um amor de viagem pela Europa”. Editado pela editora curitibana Kafka, o livro é ilustrado por 33 aquarelas pintadas pelo próprio autor e que retratam diferentes paisagens da narrativa. Dedicado à sua mulher Rosita, o livro conta detalhes das viagens de Rischbieter pela Europa, seguindo um roteiro deixado pelo amigo Jean-Claude Oleron. Nas 217 páginas de “Outonal”, o leitor passeia por mais de 30 cidades européias da França, Itália e Suíça. A viagem começa e termina na França. O ponto de partida é a ilha mediterrânea de Córsega, de domínio francês, e a chegada é em Gordes, na Côte D’Azur. Entre um ponto e outro, o livro passeia por San Gimignano, Siena, Firenze, Lucca, Portofino, Bergamo, Lugano, Stresa, Raron, Vaduz, Zurich, Berna, Geneve, Lyon, Orange, Avignon, Saint-Remy, Lex Baux, Arles, Aigues Mortes, Camargue, Saintes Maries, Uzes, Pont Du Gard, Tarascon, Cala Rossa, Nice, Cavalière e Aix-en-Provence. Mais que um diário, “Outonal” é um guia, com as melhores dicas de Rischbieter sobre onde comer bem, castelos para se hospedar e vinhos que não podem deixar de ser degustados.
 
  ***

UN VIAJE POR EL RÍO DE LA LUZ: UN VIAJE POR ALASKA Y CANADA





Autor: Javier Reverte.

Editora: Plaza e Jones






En 1897 el famoso escritor y aventurero Jack London emprendió un viaje a Alaska en búsqueda de riqueza durante los días de la fiebre de oro. Siguiendo sus pasos, casi 110 años después, en julio de 2006, Javier Reverte comenzó su aventura por Alaska y Canadá. El resultado de ese viaje es un libro “El río de la Luz” que representa para el autor un ajuste de cuentas con el pasado. Si cuatro años antes, el Amazonas, casi le había costado la vida, otro río, el Yukon “me la devolvió”. El Yukon me insufló torbellinos de luz en el alma, despertó en mi ánimo un nuevo anhelo de gozar la existencia y me devolvió el optimismo”. Reverte cuenta así con su estilo tan característico, al mismo tiempo familiar y poético, el comienzo de un viaje que le llevó a recorrer setecientos cincuenta kilómetros del río en canoa junto con cinco compañeros. Una vez llegado a Dawson City -la ciudad destino de mil aventureros en busca del precioso mineral- Reverte sigue el viaje en solitario, adentrándose en el interior de Alaska, en los territorios vírgenes donde se puede encontrar un “oso en la puerta de casa”. Al mismo tiempo en que narra su viaje, Reverte lleva el lector atrás en el tiempo para contar las historias y las leyendas de los pioneros, y del mismo Jack London. Un hombre que regresó de su viaje aún más pobre pero lleno de historias por contar. De ahí continua su viaje a Canadá donde le sorprendió la "tranquilidad" de sus gentes que hacen que este país sea "callado y humilde, lo contrario de los norteamericanos". Para regresar a Europa, Reverte elige un medio singular, un carguero que navega de Montreal a Liverpool.

***

VAGABUNDO EN AFRICA




Autor: Javier Reverte

Editora: Debolsillo - 2a Edição






En su segundo viaje al continente africano, Javier Reverte recorrio Sudafrica, Zimbabue, Tanzania, Ruanda y Congo para dejarnos un nuevo y estremecedor relato sobre el misterio de africa y el riesgo de viajar por territorios inseguros. Las innumerables batallas libradas en Sudafrica, el genocidio ruandes de 1994 o los horrores sufridos en Congo cuando era casi una finca personal del rey Leopoldo II de Belgica son algunos de los hechos historicos que recorre el autor con una prosa dura y hermosa, epica y lirica a la vez, que concluye de forma brillante con la navegacion por las aguas del gigantesco rio Congo. Vagabundo en africa es un libro que se lee como una novela, lleno de pasion, y que al mismo tiempo nos habla sobre los oscuros laberintos del alma humana. Es, tambien, un canto a la fe en el hombre, porque, en palabras del propio autor, «donde hay un deseo, hay un camino». «Reverte hace a los lectores caminar a su lado con naturalidad, ternura, curiosidad, perspicacia, humor, pasion y una honda comprension de lo humano.

***

DIÁRIOS DA DESCOBERTA DA AMÉRICA





Autor: Cristovão Colombo

Editora: L&PM





"Fundarei um novo céu e uma nova terra, e não mais se pensará no que era antes." Isaías Os marinheiros estavam inquietos com este almirante que os levava para terras desconhecidas. A certa altura da viagem, ensaiariam a revolta. Seria este senhor, Cristóvão Colombo, homem de confiança? Não ouviram dizer que tantos sacerdotes e homens da corte o tinham como louco? O almirante era silencioso. Parecia mais interessado em sonhar com as terras descritas por outro aventureiro, um tal Marco Polo. Que promessas de riquezas poderiam confortar os marujos espanhóis, em tal aventura?
***

CUENTOS DE LA ALHAMBRA





Autor: Washington Irving







Algunos dicen de él que fue el primer hispanista extranjero. De lo que no cabe duda es de que España fue, para el estadounidense Washington Irving, un indiscutible terreno de confluencia cultural, de intercambio de favores y de prolífico interés. A través de una de sus novelas más populares, Cuentos de la Alhambra, el autor da rienda suelta a la fascinación que sintió por uno de los símbolos más emblemáticos del periodo musulmán en nuestro país y estandarte de la ciudad de Ganada. La obra se escribiría en 1829, pero no sería hasta 1832 cuando se publicó, convirtiéndose en un éxito rotundo y siendo traducida a múltiples lenguas. Washington Irving fue un escritor que podemos adscribir a la corriente romántica. Pero además de ello, se desarrollaría como un orientalista convencido y un amante del folklore español. Gran parte de la visión exótica y orientalista que se le atribuye a España más allá de nuestras fronteras, encuentra sus raíces en los escritos de este norteamericano natural de la ciudad de Manhattam, que llegó a nuestro país en 1826 y no se marcharía definitivamente hasta 1859, año en el que murió. Durante 1829, Irving se hospedó en una habitación de la Alhambra y la atracción que sentiría hacia ese enclave no haría más que sugestionarlo y servir de alimento para una obra como Cuentos de la Alhambra, donde el autor combina la investigación con la fantasía.

***

CORAZÓN DE ULISES



Autor: Javier Reverte

Editorial: Plaza & Janés

Año: 2006

Temas: Ensayo : Viajes



Desde su mirada excepcional y siempre respetuosa Javier Reverte nos invita a perdernos en tres enclaves míticos: Grecia, Turquía y Egipto. Pasado y presente se entremezclan siguiendo los pasos de Ulises, bordeando la costa oriental turca y fondeando en Alejandría. Los ecos de Homero y las gestos de los argonautas reviven en este fascinante viaje donde conviven los sueños, el descubrimiento revelador y la rememoración de una experiencia única.

***

COMER, REZAR, AMAR



Autor: GILBERT Elizabeth

Editora: Objetiva

Categoria: Literatura Estrangeira / Biografias e Memórias
 



Em torno dos 30 anos, Elizabeth Gilbert enfrentou uma crise da meia-idade precoce. Tinha tudo que uma americana instruída e ambiciosa teoricamente poderia querer - um marido, uma casa, um projeto a dois de ter filhos e uma carreira de sucesso. Mas em vez de sentir-se feliz e realizada, foi tomada pelo pânico, pela tristeza e pela confusão. Enfrentou um divórcio, uma depressão debilitante e outro amor fracassado, até que se viu tomada por um sentimento de liberdade que ainda não conhecia. Foi quando tomou uma decisão radical - livrou-se de todos os bens materiais, demitiu-se do emprego, e partiu para uma viagem de um ano pelo mundo - sozinha.

***

CHOCOLATE - UMA SAGA AGRIDOCE PRETA E BRANCA



Autor: ROSENBLUM, Mort.

Editora: Rocco
 





Recentemente os cientistas confirmaram o que os amantes de chocolate sabiam desde o início: o "negócio" é bom mesmo para a saúde. É o presente preferido entre os namorados, tem mais antioxidantes do que o vinho tinto e contém feniletilamina, molécula produzida no hipotálamo que detona no corpo a mesma sensação estonteante que experimentamos quando localizamos, numa sala cheia de pessoas, o objeto de nossa afeição. No final das contas, nada se compara ao chocolate. E é sobre ele que Mort Rosenblum fala em Chocolate – uma saga agridoce. Nesta narrativa deliciosa, Mort Rosenblum, o premiado autor de "Azeitonas" e de "Um Ganso em Toulouse", mergulha no complexo universo do chocolate. Ele nos apresenta as diferentes variedades de cacaueiros, os inúmeros tipos de chocolates e os efeitos destes sobre a mente, o coração, a silhueta e a libido. Do mole problano – galinha com chocolate e chile –, do antigo México, que leva dias para ficar pronto, aos sofisticados palets d’or franceses – pequenos quadrados, com recheio cremoso, dentro de uma cobertura dura e fina de um sedoso chocolate –, que têm inscrições feitas com pedacinhos de ouro puro, passando pelos impérios Hershey, Godiva e Valrhona, Rosenblum traça o caminho do chocolate desde suas origens até os dias de hoje. Entre os maias, as sementes do cacau eram moeda-corrente e iam para o túmulo com os reis. Os astecas consideravam seu cocahualt sagrado. A bebida, preparada com as sementes do cacau, podia incluir farinha de milho, chiles apimentados e especiarias aromáticas. O suposto efeito afrodisíaco do chocolate apimentado dos astecas inflamou a imaginação dos espanhóis. Há depoimentos afirmando as propriedades fortificantes e antifadiga do chocolate. Reis e rainhas em toda a Europa eram reconhecidos choco-dépendant, o que poderíamos chamar de chocólatras com classe.

***

CAUTIVA EN ARABIA


Autor: MORATÓ, Cristina.

Editorial: Plaza & Janés

Año publicación: 2009





Marga de Andurain, nacida en Bayona en el seno de una familia de la burguesía vasca, tuvo una vida absolutamente novelesca. Vivió en Argentina, y tras la Primera Guerra Mundial se trasladó con su marido a El Cairo. Desde entonces espió para los británicos, regentó un hotel en Siria, se propuso ser la primera occidental que entrase en la Meca, fue encarcelada en un harén, traficó con opio en el París de la ocupación nazi y acabó sus días de la misma forma en que vivió, cuando se disponía a embarcar en su última gran aventura en el Tánger de finales de los años cuarenta.
***

BREVE HISTORIA DE LA CULTURA EN ESPAÑA


Autor: CORTAZAR, Fernando Garcia de.

Editor: Booket

ISBN: 9788408090328

Colecção: Curs D'Història De C

 

De Breve historia de España se ha dicho que es el best seller más importante de la historiografía española de los últimos años. Un admirable dominio del arte de la síntesis, un estilo ameno y directo y la reivindicación de la realidad histórica de España dan razón de la popularidad del libro, que ha conocido numerosas reimpresiones y se ha visto traducido a las más importantes lenguas extranjeras. Desde su aparición, la obra ha mantenido intacto su vigor gracias a sus periódicas actualizaciones. Esta nueva edición amplía sus páginas para incorporar la reflexión sobre los últimos acontecimientos y mantener el compromiso de los autores de llevar al presente la meditación histórica, llamando a las cosas por su nombre. Fernando García de Cortázar es catedrático de Historia Contemporánea en la Universidad de Deusto. Autor de numerosos libros de gran éxito popular, es una de las figuras más relevantes del panorama cultural español. José Manuel González Vesga es historiador.

***

AZEITONAS VIDA E SAGA DE UM NOBRE FRUTO




Autor: ROSENBLUM, Mort.

Editora Rocco

ISBN: 8532510051
 



Nada mais trivial que uma azeitona, diriam os apressados. É o tira-gosto sem graça e baratinho do boteco da esquina ou o integrante insosso do couvert no restaurante bacana. Comumente, são distinguidas em apenas três categorias: verdes, pretas ou roxas. Mas Mort Rosenblum abre nossa alma, nossa mente e nossos sentidos para o desconhecido e extraordinário mundo dessas bolinhas escuras que bóiam nos copos de martíni. Azeitonas - Vida e saga de um nobre fruto é muitíssimo mais do que um belo livro de culinária. É a Bíblia das oliveiras que, com sabor e erudição, eleva os pequenos frutos mediterrâneos à dignidade do cabernet sauvignon. Jornalista, Rosenblum comprou, em 1986, um terreno na região de Provence, no sul da França, que englobava algumas oliveiras. Foi um caso de amor à primeira vista. Com o tempo, ele passou a visitar as principais plantações da Europa e da África e é esta sua aventura pelo mundo verde e dourado das azeitonas e de seu óleo que ele nos oferece. Planta abençoada em três religiões e presente de Minerva aos homens, a oliveira se mistura com a própria história da humanidade, que registra candeeiros de óleo iluminando caminhos antes da aurora dos tempos. Aristóteles filosofou sobre elas e Cristo pregou seus ensinamentos sob a sombra generosa de suas folhas. Por sinal, a raiz da palavra Messias vem de "ungüento" e quem duvida que o óleo fosse outro que não o azeite? Neste livro, descobre-se toda a história e a quase infinita variedade das azeitonas, das oliveiras gigantes chemlali às provençais cailletier, as diferenças de sabor nos óleos de cada região, o supremo azeite tunisiano, os temperados frutos marroquinos, as políticas governamentais, as guerras silenciosas nos mercados, os crimes liquefeitos em azeite adulterado e as pragas invejosas das plantações: Coccus, a cocholina negra; Dacus, a mosca de asas rendadas; Tripses, o inseto invisível, e o terrível Neiroum, destruidor da madeira. Quem quer aprender algo mais sobre comida, história, filosofia e prazer, precisa ler urgentemente este cântico dos cânticos. Todos que amam a boa mesa e a mais profunda cultura têm aqui um banquete untuoso, digno de Salomão. É um livro para ser saboreado.

***

AS VIAGENS DE GULLIVER


Autor; SWIFT, Jonathan.

Formato: e-book / PDF

Código: Infan00009

© VirtualBooks 2000
 
No dia 5 de novembro de 1669, voltando de uma viagem aos mares do sul, o Antílope, navio da marinha mercante inglesa, enfrentou violenta tempestade que o projetou sobre uns recifes. 0 cirurgião de bordo, Lemuel Gulliver, único sobrevivente de toda a tripulação, conseguiu, depois de esforços sobre-humanos, chegar a terra firme. A noite chegara. Não descobrindo nenhum sinal de vida, Gulliver, morto de fadiga, deitou-se de costas e não tardou em dormir profundamente. 0 sol já estava alto quando acordou no dia seguinte. Quis levantar-se, mas, sentiu os cabelos presos ao chão e os braços e pernas imobilizados por uma porção de amarras. Erguendo ligeiramente a cabeça, apesar da dor que os cabelos lhe causavam, viu sobre todo o seu corpo uma multidão de homenzinhos que não mediam mais de 15 centímetros de altura. O espanto e o medo lhe fizeram soltar tamanho grito que os pequenos personagens ficaram apavorados. Na sua precipitação em fugir, alguns caíram de grande altura e tiveram muita dificuldade em se levantar. Aproveitando-se da confusão, Gulliver conseguiu afrouxar os nos que lhe prendiam a mão, esquerda. Esperava soltar-se completamente, mas, seus minúsculos agressores não lhe deram tempo. Assim que voltaram a si do susto, atiraram-lhe no rosto uma multidão de flechas do tamanho de agulhas.  Compreendendo que nada conseguiria pela violência, Gulliver desistiu de se' mexer. Logo as flechas cessaram de cair sobre ele. Um estrado foi logo rapidamente armado perto de seu rosto, e um personagem que parecia ser o chefe dos homenzinhos, ali se instalou e começou longo discurso numa língua que Gulliver nunca ouvira. Porem, pelos gestos que fazia, Gulliver percebeu que ele o convidava a ficar quieto, senão a resposta seria a violência. Da melhor maneira que pôde, Gulliver deu a entender que se submetia, e, como estivesse morto de fome, levou diversas vezes a mão à boca. Imediatamente lhe trouxeram pratos repletos de alimentos finos que teriam sido suficientes para alimentar a multidão de homenzinhos que o cercava. Gulliver, para grande espanto deles, comeu-os em poucos segundos, assim como esvaziou de um trago os minúsculos barris de vinho que lhe foram apresentados. Enquanto ele se alimentava, soldados arrancaram as flechas que lhe cobriam as mãos e o rosto, e esfregaram as feridas com ungüento perfumado que acalmou suas dores. Mal terminara sua refeição, e já dormia profundamente sob o efeito de um narcótico que tinha misturado a sua comida. Durante este sono foi arrastado para uma carroça puxada por centenas de cavalos e levado até as portas da capital do pais. Lá , enquanto os curiosos o observavam de cima das muralhas, acordou e um oficial lhe fez compreender que punham à sua disposição um templo vazio situado fora da cidade. Gulliver teve alguma dificuldade em penetrar em sua nova casa, porque a porta era muito estreita, mas verificou com satisfação que podia esticar-se completamente em seu interior. Pouco depois o oficial ordenou a seus homens que examinassem os bolsos de Gulliver. Entre os objetos dali retirados o que provocou a mais viva curiosidade foi o seu relógio, sendo que muitos foram os que vieram admirar este objeto esquisito do qual eles não compreendiam a utilidade. Durante este tempo, Gulliver o soube mais tarde, o governo do reino reunira-se para deliberar a seu respeito.

***

AS VERDES COLINAS DE ÁFRICA


Autor: HEMINGWAY, Ernest.

Edição/reimpressão: 2005

Editor: Livros do Brasil

ISBN: 9789723827415
 


As Verdes Colinas de África divide-se em quarto partes: “Caça e conversa”, “Caça recordada”, “Caça e derrota”, e “Caça e felicidade”. A história que se conta nestes quatro segmentos é a de três caçadas com êxito ao leão, ao búfalo e ao rinoceronte, e a de uma longa caçada, apenas em parte bem sucedida, ao antílope. Para aqueles que pensam que Hemingway era uma pessoa incapaz de auto-crítica, o livro será uma revelação. Hemingway, o escritor, escrutina aqui as complexas motivações de Hemingway, a personagem, e não hesita em criticar este último por quase ter estragado todo o prazer de uma aventura excepcional, com o seu desejo infantil de provar que é melhor caçador do que o seu amigo Karl. Os leitores a quem a história de uma caçada em África não interesse de forma muito especial têm de qualquer maneira boas razões para ler As Verdes Colinas de África. Muito em particular por causa do segmento «Perseguição e conversa», onde Hemingway analisa, com uma candura e uma profundidade fora do comum, a sua vida de escritor.

***

ALMA DE VIAJANTE



Autor: GOMES, Filipe Morato.

Editora: Edições Cão Menor

País: Portugal





Mais do que um relato de viagem, este livro é uma viagem de emoções. De histórias. Relata momentos ímpares vividos no desconforto da estrada, o estado de permanente descoberta, a empatia das amizades efémeras, os cheiros, os sabores, os sorrisos, a magia das coisas simples, enfim, o prazer inigualável da liberdade. Mas relata também experiências emocionalmente arrasadoras, para as quais não poderia nunca estar preparado, como o tempo passado na Tailândia e no Sri Lanka nos dias seguintes ao maremoto do oceano Índico. Sobre todas as incidências da viagem fui escrevendo, semanalmente, ao longo dos catorze meses que durou a odisseia, nas páginas do Fugas – o suplemento de viagens do jornal Público. São essas crónicas que se encontram neste livro, em versões pontualmente alteradas, a que se adicionou um ou outro escrito nunca antes publicado em papel e uma selecção de fotografias que retratam, elas próprias, à sua maneira, os catorze meses de viagem.

***

A VOLTA AO MUNDO EM 80 DIAS


Autor: VERNE, Julio.

1a. edição, 2005

Melhoramentos





Clássico da literatura juvenil, esta reedição comemora os 100 anos do autor Júlio Verne e conta a história de um inglês, Phileas Fogg, que tinha uma vida regrada e solitária, mas com muito dinheiro e, devido a uma aposta com seus amigos de jogo, resolve dar a volta ao mundo em oitenta dias, acompanhado apenas de seu fiel empregado.

***

O LIVREIO DE CABUL

Autor: SEIERSTAD, Asne.

Assunto: Sociologia

Ano: 2006

ISBN 8501072877

Editora: Record
 

Por ter vivido três meses com uma família afegã, na primavera de 2002, logo aós a queda do regime talibã, a jornalista norgueguesa Asne Seierstade pôde produzir esta narrativa ímpar que mostra aspectos do país que poucos estrangeiros testemunhariam. Como ocidental, mulher e hóspede de Sultan Khan, um livreiro de Cabul, obteve o privilégio de transitar entre o universo feminino e masculino de uma sociedade islâmica fundamentalista. Preso e torturado durante o regime comunista, dos mujahedin e dos talibãs, Sultan Khan teve sua livraira invadida e parte dos livros queimados, mas alimentava o sonho de ver seu acervo de 10 mil volumes sobre história e literatura afegã transformar-se mo núcleo de uma nova Biblioteca Nacional. Apesar da situação estável, a família do livreiro, duas mulheres, cinco filhos e parentes, dividia uma casa de quatro cômodos em uma cidade que se recuperava da guerra e de trágicos refluxos políticos. Os integrantes da família acostumaram-se à presença da autora sob uma burca. Assim, ela pôde observar relatos das rixas do clã; da exploração sexual das jovens viúvas que esperaam doações de alimentos das organizações de ajuda internacional; da adúltera sufocada com um travesseiro pelos três irmãos sobe as ordens da mãe; do exílio no Paquistão da primeira esposa de Sultan Khan, após um segundo casamento com ma moça de 16 anos; do filho adolescente do livreiro obrigado a trabalhar 12 horas por dia sem chance de estudar.

***
 
A VIDA SECRETA DO SENA


Autor: ROSENBLUM, Mort.

Editora: ROCCO

ISBN-10:8532508567

Ano Publicação:1998



É um livro-reportagem escrito pelo jornalista americano Mort Rosenblum, relatando sua experiência durante a travessia, em um barco-moradia, no mais famoso rio do mundo, o Sena. Com bom humor e informações colhidas por quase toda a França, o autor mistura pessoas que moram e trabalham no rio com histórias de gauleses, vikings, reis ingleses e franceses, escritores como Victor Hugo e Flaubert e pintores como Monet, Boudin e Van Gogh. Como um guia de viagens, o leitor poderá conhecer, sob uma ótica diferente, a arquitetura e o espírito da França. Os personagens expressam seus sentimentos apenas com gestos, olhares e sorrisos para transmitir tudo o que lhes vai na alma. “Uma olhada rápida para o Sena e descobre-se o que está acontecendo no país”, observa o autor.

***

A SUITE ELEFANTA


Gênero: Ficção

Autor:  THEROUX, Paulo.

Editora: Alfaguara / Objetiva





As três novelas reunidas em A Suíte Elefanta mostram toda a habilidade de Paul Theroux no campo da ficção. Em “Colina dos Macacos”, um empresário bem-sucedido e sua mulher se hospedam em um spa de luxo na Índia, alheios à vida fora das cercas. Fazem aulas de ioga, alimentam-se com comidas balanceadas e recebem massagem, até o momento em que tudo começa a ruir depois de se envolverem com os submissos serviçais do local. Na novela seguinte, “O Portal da Índia”, um jovem executivo faz viagens de negócios à Índia, onde tenta tirar proveito de fornecedores enquanto evita se envolver minimamente com a cidade — na mala, carrega garrafas de Gatorade e atum em lata, que consome na pia do hotel todas as noites. Mas, numa caminhada pelas ruas de Mumbai, sua ambição e seu desejo sexual o levarão a conhecer um outro país, luxuriante e perigoso. E, em “O deus-elefante” uma garota recém-formada em viagem de mochila acaba mergulhando na Índia: instala-se em um ashram, uma comunidade de meditação, e começa a dar aulas de inglês para funcionários terceirizados de telemarketing, até que algo horrível acontece. São novelas de impacto, de certa forma conectadas, que se desenvolvem com sutileza e maestria. E Theroux mostra que, além de um grande autor de relatos de viagem, é, também, um exímio ficcionista. A Suíte Elefanta é um livro ousado, que desmonta os lugares-comuns sobre a Índia ao apresentar ao leitor um universo complexo e multifacetado, de estranhamentos, preconceitos e situações extremas. Paul Theroux consegue capturar esse mundo contemporâneo marcado pelo tumulto e ambição de um lado, e pela espiritualidade de outro.

***

A PRIMEIRA HISTÓRIA DO BRASIL.

Autor: GANDAVO, Pero de Magalhães.

Editora: JORGE ZAHAR

ISBN: 8571107629


A História da província Santa Cruz a que vulgarmente chamamos Brasil, de Pero de Magalhães de Gândavo, foi a primeira obra publicada em língua portuguesa sobre o Brasil. Sua primeira edição data de 1576 e, além de inaugurar a historiografia e a geografia brasileiras, foi pioneira também ao apresentar a nova terra como um local aprazível e habitável, e não como um exótico palco de aventuras e perigos. Trata-se do relato de um viajante do Renascimento. Homem multifacetado e empreendedor, conhecedor do latim, Gândavo foi excelente historiador, atento aos aspectos botânicos, zoológicos, etnológicos e geológicos. Descreve engenhos, vilas e aldeias indígenas, bem como elementos da fauna e da flora locais ainda fantásticos a um primeiro olhar europeu. Registra ainda expedições aos sertões em busca de ouro, caracterizando um Brasil entre o selvagem e o civilizado, em que índios, colonos e jesuítas se enfrentam no desafio de habitar a terra. Esta edição traz o texto modernizado - a partir do original de 1576 - por Sheila Moura Hue e Ronaldo Menegaz, responsáveis também pelas inúmeras notas esclarecedoras.

***

A MALINCHE



Autor: ESQUIVEL, LAURA.

Editora: Ediouro

ISBN: 8500021497




O trágico e apaixonante romance entre Hernán Cortés e a índia Malinalli (a sua intérprete durante a conquista do império asteca), num livro que nos desvenda o mito fundador da cultura híbrida do Novo Mundo e nos conta uma extraordinária história de amor. Quando a índia Malinalli conhece Cortés, assume que se trata do próprio Deus Quetzalcóalt, que regressa para libertar o seu povo. Os dois apaixonam-se loucamente, mas esse amor será destruído pela desmedida sede de conquista, poder e riqueza de Cortés, um dos mais importantes conquistadores espanhóis. Audaz e engenhoso numa época de grandes heróis, Cortés foi o único que chegou a conhecer a fundo os indígenas americanos. O grande valor estratégico de Malinalli, sua tradutora e intérprete, converteu-a numa personagem-chave na colonização da América e nas relações entre a coroa espanhola e os diferentes povos indígenas. A história do México acabaria por reservar a Malinalli outro papel, o de traidora do seu próprio povo, mas as investigações históricas recentes mostram que foi sim a mediadora entre duas culturas, a hispânica e a nativa americana, e entre duas línguas, o espanhol e o náhuatl. Com a queda do império asteca como pano de fundo, Laura Esquivel desafia a mitologia tradicional através do retrato apaixonado do Adão e da Eva da cultura mestiça: Cortés e Malinalli.

***

A CONQUISTA DA AMÉRICA

Autor: TODOROV, TZVETAN

Editora: WMF MARTINS FONTES

Assunto: HISTÓRIA

ISBN: 8578272498



Para responder à questão - como se comportar em relação ao outro?, Todorov opta por contar a história da descoberta e da conquista da América. 'A conquista da América' é a tentativa de entender o que aconteceu nesse dia e durante o século seguinte. O encontro entre o 'civilizado' velho mundo cristão europeu e o 'selvagem' novo mundo pagão é, para Todorov, o fato mais importante de toda história ocidental. A partir desse paradigma, ao qual - todos são descendentes', Todorov trabalha a complexa questão do 'outro' entre o choque de culturas.

***

100 RUTAS LEGENDARIAS
                                              
                                              
Autor: Keith Lye

Editor Blume

Fecha de publicación mayo 2010

ISBN 9788498014372


Cien maneras de explorar el mundo que le transportarán por el planeta a través de tierra, mar y aire. Si desea seguir los pasos de Alejandro Magno, Mark Twain o Jane Austen, entre otros muchos, este libro le permitirá experimentar y planificar rutas a los cuatro confines de la Tierra. Un libro para soñar desde su cómodo sillón o para planificar reservando por Internet la aventura de su vida. El ser humano siempre ha sentido curiosidad por saber qué hay tras el horizonte. En la prehistoria, nuestros cazadores-recolectores emigraron de su tierra natal en África para colonizar todos los rincones del mundo. Unos buscaban agua y alimentos, mientras que otros querían encontrar un nuevo hogar, pero lo que todos tenían en común era la necesidad de emprender un viaje de exploración. A todos nos gusta viajar, pero no todos nos podemos permitir el tiempo o el gasto que un viaje implica. Esta obra nos ofrece 100 espectaculares viajes por el mundo: largos trayectos por carreteras que cruzan continentes, románticos recorridos en tren, atrevidas rutas en barco sin olvidar la rapidez que nos ofrecen los aviones, o los clásicos recorridos a pie. Siga los pasos de famosos viajeros de la historia, de la literatura, de la mitología o de la religión gracias a detallados mapas y esclarecedoras fotografías.

***

Outras viagens que podem interessar:

Related Posts with Thumbnails