quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Dante Alighieri e Beatrice Portinari sua musa inspiradora.

(Imagens Google)




Dante Alighieri (Itália, 1265 / 1321, Itália) e Beatrice Portinari (Itália, 1266 / 1290, Itália)

Amor que inspirou e moveu uma vida dedicada à literatura, o amor que Dante Alighieri nutriu por sua Beatriz – Beatrice Portinari – surgiu na mais tenra idade. Em uma época em que os casamentos eram arranjados entre as famílias e as alianças eram políticas ou financeiras, o escritor então com nove anos, conheceu sua amada. Um amor por assim dizer platônico, nada foi dito apenas olhares. Ele só voltaria a rever a jovem e bela Beatriz, filha de um banqueiro florentino, na juventude, quase uma década depois. Mas o amor nunca consumado teria um desfecho ainda mais doloroso para Dante, com a morte prematura de Beatriz em 1290, só lhe restou os sonhos. Sonhos nos quais sua amada esteve sempre presente, sonhos estes que interpretados se tornariam fonte para os textos de Dante, surgindo assim o amor romântico na literatura italiana. Depois desse acontecimento e tomado por grande sofrimento Dante escreve “Vida Nova” obra de cunho autobiográfico onde o autor se vale da prosa e da poesia para lembrar seu amor. Em seguida ele se dedicou ao estudo da filosofia e, produziu sua obra maestra “A Divina Comédia” cujas personagens Dante, Beatriz e Virgilio representam o homem, a fé e a razão, possibilitando ao homem moderno acessar a cosmovisão medieval. Um dos nomes mais notáveis da literatura florentina e italiana imortalizou sua amada em uma obra que até hoje desperta curiosidade e admiração, obra onde Beatriz serviu de guia pelos caminhos do paraíso, aqueles mesmos que em vida Dante não conheceu.



(por Meg Mamede originalmente escrito para Agenda 12 x 12 - 2014, produto concebido, produzido e comercializado por Ana Camargo Deisgn© todos os direitos reservados)


***

Outras viagens que podem interessar:

Related Posts with Thumbnails