quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Frida Khalo e Diego Rivera, um amor engajado!

(Frida Khalo e Diego Rivera - Foto: Bowes Museum)



Frida Kahlo (México, 1907 / 1954, México) e Diego Rivera (México, 1886 / 1957, México).

A arte mexicana, sua força, cor e latinidade uniu um dos casais mais icônicos do século 20. Frida Kahlo e Diego Rivera casaram-se em 1929 e apesar da diferença de idade tornaram-se um dos pares mais conhecidos do México e do Mundo, seja pelo talento artístico de ambos, seja por seus ideais políticos. A relação conturbada e apaixonada que mantiveram fez deles um casal passional e curioso. Frida conheceu muito cedo o sofrimento e a dor por conta de problemas físicos e sua união com o muralista traria mais sofrimento ao longo dos anos. Apesar das traições, de ambos, a devoção e amor de Frida por Diego pode ser comprovada através de um diário mantido pela artista. Sobre Diego, dizem que era Frida que buscava nas mulheres com quem se envolvia.  A arte engajada e preocupada com os valores e memória do povo mexicano fez com que se destacassem artística e politicamente, fazendo com que fossem reconhecidos no México e no mundo, influenciando as novas gerações de artistas. Entre idas e vindas, o casal reconcilia-se e passa a viver em casas separadas ligadas por uma ponte, Frida morre em 13 de julho de 1954, data que Diego Rivera – que morreria três anos depois – afirmaria ser o dia mais trágico de sua vida. A vida movida pela paixão que Frida e Diego viveram, resultou em uma arte pujante e libertária que poucos são capazes de produzir e compreender.


(por Meg Mamede originalmente escrito para Agenda 12 x 12 - 2014, produto concebido, produzido e comercializado por Ana Camargo Deisgn© todos os direitos reservados)


***

sexta-feira, 15 de agosto de 2014

Filmes que são uma delícia...







Quando pensei em criar o blog Cozinha da Meg Mamede já sabia que ele não seria um blog só de receitas, para mim o cinema, a literatura, as viagens e os sabores seriam a tônica dos meus textos.

Pensando no que o cinema representa pra mim e sobre o quanto é possível aprender com ele, me veio à cabeça uma das primeiras imagens de comida que tenho lembrança, ainda criança assisti  “A Dama e o Vagabundo” e nunca me esqueci da cena em que eles compartilham o espaguete. Hoje sei que aquilo era a representação do amor, não do amor romântico, mas do amor que nos faz humanos quando compartilhamos algo com qualquer pessoa. Anos mais tarde ver a cena do casal de amantes alimentando um ao outro na cozinha em “9 ½ Semanas de Amor” também me causou algum impacto, afinal comida e sexo são essenciais à nossa vida e ambos nos conferem prazer e bem estar. Depois na graduação assisti “A Guerra do Fogo”, um daqueles filmes obrigatórios no curso de História, mas foi revendo o filme anos depois que me dei conta da importância da abordagem de Jean-Jacques Annaud, afinal tudo mudou quando nossos ancestrais descobriram o fogo, e o que veio depois faz toda a diferença, a mudança cultural e física que ocorreu quando o Homem troca o alimento cru pelo cozido, naquela época assado, mas isso é assunto pra outro post.

Curiosamente, nenhum dos três filmes citados faz parte da lista de “Filmes que são uma delícia” que publico aqui, isso porque os filmes escolhidos são filmes que têm em comum a cozinha, a comida, os alimentos, as receitas, os profissionais do segmento da alimentação e os encontros ao redor da mesa com certo protagonismo e relevância na produção. Todos os filmes de alguma maneira nos remetem à alimentação e aos relacionamentos, seja com a família, com amigos, no trabalho ou ainda com o entorno e meio ambiente, esses dois últimos ítens muito atuais por conta do movimento Slow Food no mundo.

A seleção é fruto de uma pesquisa dedicada onde passo horas lendo artigos, comentários, assistindo a trailers e filmes na íntegra em sites nacionais e internacionais. Muitas vezes o filme participa de algum festival aqui no Brasil mas não é distribuído, daí a dificuldade de encontrá-lo em locadoras, porém hoje em dia isso não é problema, pois muitos sites oferecem os filmes para download ou para assistir online, e há ainda tv’s por assinatura que oferecem alguns dos títulos em seu catálogo.

A lista de “A à Z” tem crescido rapidamente e a cada dia títulos novos são inseridos,  é possível encontrar: longa- metragens de gêneros variados, entre eles  drama, comédia, romance e suspense, muitos documentários, alguns curtas, seriados e animações. Optei por utilizar links para acesso externo, pois já existem muitos artigos e comentários sobre os filmes, desta forma consigo acrescentar novos títulos com mais agilidade e frequência. Alguns dos filmes citados estão com seu título original e alguns vídeos em outros idiomas.

Aqui gula não é problema, tão pouco engorda. Se você gosta de gastronomia e cinema ou está buscando um filme que ainda não tenha assistido, tire um tempinho e vá clicando nos links pra saber um pouco mais, depois é só deliciar-se!



***

Outras viagens que podem interessar:

Related Posts with Thumbnails