sábado, 14 de agosto de 2010

Peter Burke e Maria Lúcia G.Pallares-Burke apresentam Gilberto Freyre.

Nesta quinta-feira 12 de agosto, tive o privilégio de conhecer e ouvir importantes nomes da história cultural. Referência nos estudos e pesquisas das mídias entre outras coisas, Peter Burke dispensa apresentações. Com muitos livros publicados no Brasil, entre os quais: O Renascimento Italiano: Cultura e Sociedade na Itália, História e Teoria Social, A Escrita da História, A fabricação do rei: a construção da imagem pública de Luís XIV, Uma história social da Mídia: de Gutenberg a Internet, Testemunha Ocular, O que é história cultural, o historiador, pesquisador e professor inglês Peter Burke juntamente com a esposa e também historiadora, a brasileira Maria Lúcia Garcia Pallares-Burke apresentaram o livro Repensando os trópicos: um retrato intelectual de Gilberto Freyre, trabalho escrito a quatro mãos que originalmente foi editado para o público anglófono, como mencionado por Peter Burke “para inglês ler” e que posteriormente seria adaptado e publicado no Brasil pela editora UNESP no ano passado. Depois de participarem da FLIP no Rio de Janeiro, que este ano homenageou o autor de Casa Grande e Senzala e que segundo os organizadores do evento “é o mais literário pensador social brasileiro” Peter Burke e Maria Lúcia G. Pallares-Burke, autora de Gilberto Freyre: um vitoriano dos trópicos e também responsável pela curadoria das atividades em homenagem a Freyre na FLIP 2010 vieram à S.Paulo e deram aos presentes no auditório do Cedem/Unesp o presente de conhecer detalhes, curiosidades e abordagem escolhida pelo casal para elaborar o livro. Para essa apresentação de Freyre, o casal Burke se valeu da correspondência pessoal, prefácios, anotações em livros que o autor lia, além da produção de Freyre que em alguns momentos lhes fornecia pequenos relatos autobiográficos e, o fato de Maria Lucia ser brasileira e, portanto, conhecedora da cultura do seu país, foi determinante para a produção do livro. A admiração de um historiador reconhecido internacionalmente por um pensador brasileiro que transitava entre a literatura, a história, a sociologia, a antropologia – sem esquecer seu interesse pela pintura – numa postura interdisciplinar incomum entre seus pares e que segundo Peter Burke encontraria equivalência na Europa em nomes como Fernand Braudel e Johan Huizinga, não poderia passar em branco e por isso mesmo deveria ser apresentado ao mundo. Começando pela Inglaterra Repensando os trópicos: um retrato intelectual de Gilberto Freyre esclarece que: para conhecer a cultura brasileira, há que se considerar o legado deixado por esse pernambucano cultuado por uns, criticado por outros. Às vezes incompreendido, noutras vezes amado. E... é esse Gilberto Freyre “homem-orquestra”, controverso, narcisista, gênio genioso, interdisciplinar e, sobretudo humano, que nos foi apresentado com elegância inglesa e beleza brasileira.





Repensando os trópicos: um retrato intelectual de Gilberto Freyre
Editora Unesp (S.Paulo, 2009)
Maria Lucia Garcia Pallares-Burke e Peter Burke
Gênero: Biografia

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela visita e comentário. Em breve seu comentário será publicado.

Outras viagens que podem interessar:

Related Posts with Thumbnails