terça-feira, 15 de junho de 2010

A melhor tortilla de patatas do mundo!

Joseba de Muguruza e a rica tortilla de patatas do Café Samaná.

De volta ao Brasil há duas semanas ainda estou matando as saudades de muita coisa, entre elas: a comida da mamy, a salada de agrião – que só comia em Portugal, já que no País Basco o mais parecido que encontrei foram canónigos – e agora começo a sentir a falta dos hábitos do País Basco, em especial a tortilla de patatas do Joseba do Bar Samaná em Orduña. Essa tortilla de patatas que lembra a omolete que a minha mãe fazia – na qual costumava acrescentar cebola –, é algo antigo na história da culinária. Na realidade a batata originaria da América do Sul que era chamada de papa – em quéchua – pelos incas, foi parar na Europa pelas mãos dos colonizadores. Hernán Cortés em suas cartas descreve muito do que encontrava nos mercados da Mesoamérica, já em crônica da Companhia das Índias datada de 1519 fala-se da tortilla (tortilha em português) de ovos que era conhecida tanto na Europa pelos espanhóis, como na América pelos aztecas, que as preparavam e as vendiam nos mercados de Tenochtitlan acompanhada de pão de milho.

Na Espanha, a tortilla de patatas é citada por primeira vez em um documento anônimo de 1817, dirigido à Corte de Navarra, onde se fazia uma comparação entre as condições dos agricultores da região e os moradores de Pamplona e da La Ribera Navarra, já que alguns deles devido a escassez de alimentos usavam truques para driblar essa falta "...dos o tres huevos en tortilla para cinco o seis, porque nuestras mujeres la saben hacer grande y gorda con pocos huevos mezclando patatas, atapurres de pan u otra cosa...". Mas há outras histórias sobre a tortilla de patatas, uma delas é que teria sido o general basco Tomás de Zumalacárregui (Guipúzcoa: 1788-1835), quem em Bilbao teria criado um prato, simples, rápido e nutritivo para saciar a fome do exército carlista e dali em diante o prato passaria a ser difundido pelo país. Há também outras versões para a criação dessa especialidade gastronômica: a de uma dona de casa navarra que teria preparado algo com simplicidade usando ovos, batatas e cebola e que o general Zumalacárregui teria gostado tanto que a popularizaria ou ainda que a tortilla teria sido criada em Villanueva de la Serena, Extremadura, mais ao sul da Espanha.

Independente de qual seja a verdadeira origem da tortilla de patatas a verdade é que ganhamos nós quando a experimentamos, seja a preparada de maneira tradicional ou em suas variadas formas de preparo, pois cada cozinheiro acrescenta o ingrediente ou o segredo culinário que queira. Segundo Joseba de Muguruza do Café Samaná de Orduña, para que sua tortilla de patatas seja a “melhor do mundo” o segredo é: fazê-la com amor. Quando cheguei no País Basco pesava 50kg, voltei para o Brasil pesando 54kg, não comi tortilla de patatas todos os dias que lá estive, mas sempre que chegava no Café Samaná e via aquela tortilla sorrindo pra mim, não resistia. Provei outras tortillas de patatas em outros lugares da Espanha, com pimentões, com carne, com camarões, com jamón, com bacalhau, etc, mas nada se compara ao inigualável sabor da “número 1”, me refiro aquela tortilla feita com amor e ingredientes de qualidade, por isso recomendo: se for à Espanha, arrume um tempinho para visitar Orduña, conhecer suas belezas naturais, seu patrimônio histórico e cultural e as delícias gastronômicas que aquela localidade vizcayna oferece e não se esqueça: procure o Café Samaná na calle Barria, 13, peça Txacolí ou um Crianza de La Rioja para acompanhar a melhor “tortilla de patatas del mundo”. Você não se arrependerá! Afinal, tudo que é feito com amor é muito mais saboroso.


Receita de Tortilla de Patatas tradicional:
Porção para 4 pessoas:

Ingredientes:

6 ovos
300 gr de batatas
9 colheres de azeite de oliva
Sal

Preparação:

Corte as batatas em pequenas lâminas (fatias finas e pequenas) e frite-as bem devagar numa frigideira com o azeite quente, tampando-a para que cozinhe um pouco as batatas, movendo-a de vez em quando para que não grudem. Uma vez prontas tire-as da frigideira em um escorredor de frituras, em seguida junte-as em uma tigela com os ovos já batidos e acrescente o sal. Coloque um pouco de azeite na frigideira, somente para untá-la, em seguida coloque a mistura de ovos batidos e a batata, mova levemente a frigideira em movimentos circulares e tampe-a por alguns minutos para que a mistura fique uniforme, quando perceba que a mistura está coalhando, isto é, com certa liga, cubra a frigideira com um prato e gire-a para dar a volta na tortilla, com cuidado para que ela não quebre, depois, movimente-a um pouco mais e tire-a para que não fique muito seca.

Sirva com pequenas fatias de pão e se tiver um vinho tinto ou um Txacolí não hesite em provar essa combinação.

Como dizem os espanhóis e bascos: ¡Que aproveché!.

3 comentários:

  1. Josebita!!
    Te echamos de menos!! Y porsupuesto la tortilla de Samaná...
    Te queremos mucho!!
    Besos de esta família brasileña
    Roberta y Aitor

    ResponderExcluir
  2. Já provei algo parecido mas depois da simpática e oportuna aula, vou fazer conforme a receita e saborear lembrando do que aprendi aqui.
    E contando prá quem estiver me acompanhando é claro.

    ResponderExcluir
  3. Oi Bárbara,
    Que bom receber sua visita. Gosto muito de viajar acompanhada, risos. Obrigada pelo comentário. Bj.

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita e comentário. Em breve seu comentário será publicado.

Outras viagens que podem interessar:

Related Posts with Thumbnails