sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

Universo feminino.

Sabe esses dias que você acorda, mas... deveria ter ficado na cama? Pois estou assim há alguns dias. Super, hiper, mega sensível, mal humorada e chorona. Malditos hormônios que saltam tanto como se estivessem em eterno carnaval. Eu não imaginava que teria essas mudanças físicas aos 40, tanto é assim que escrevi um post aos 39 dizendo que isso não ia me passar. Ledo engano. Cá estou, me mordendo e o que é pior mordendo os outros. Nessas horas nada como cuidar-se, dar-se mimos e buscar coisas prazerosas, que vão desde uma sessão de massagem, uma noite de amor, um objeto de desejo a uma boa barra de chocolate. Mas, quando isso não basta o ideal é buscar outras opções. Uma mudança de look, uma viagem, ingressar em um Spa ou empreender uma rotina onde os exercícios físicos sejam uma constante. Foi exatamente o que fiz, comecei a frequentar as termas e saunas do balneário da cidade e, em decorrência disso tenho sido mais cuidadosa do que de costume, pois a quantidade de sal, ferro e outros minerais contidos nas águas que abastecem as piscinas alteram o Ph da pele e do cabelo. E por falar em cabelo, eu já estava me sentindo uma ursa, tenho muito cabelo e crescem tanto, incomodavam na hora de dormir, às vezes envelheciam minha expressão e, para secá-los… que trabalho! Como não tenho o privilégio de Jennifer Aniston de carregar o cabelereiro para lá e para cá e nem dinheiro para isso… resolvi cortá-los e ponto. Sai com o cabelo pela metade, não pela metade das costas, pela metade do comprimento que tinha. O problema é que as cabelereiras bascas, seguindo as tendências daqui cortam o cabelo muito diferente das brasileiras e têm peculiaridades que só vi aquí (franjas em formato de elmos, cabelos lisos na frente e crespos atrás, três ou mais cores berrantes aplicadas, excesso de laquês etc). Em uma atitute ousada, eu diria ousadíssima de minha parte, deixei que a cabelereira tomasse as rédias da situação, conclusão: sai do salão parecendo ter saido de algum Mangá ou Comic japonês, numa total assimetria. Como se não bastasse e para rir sozinha, resolvi comprar algum creme hidratante para o rosto, diferente do que usava, tratava-se de um produto à base de soja indicado para peles maduras, imaginei: faz tempo que deixei de ser adolescente, por isso vou levar este. Ao abrir o creme em casa, descobri que o produto é indicado para senhoras acima dos 60, risos, minhas opções eram: esperar para usá-lo daqui a 20 anos ou usá-lo já. Como dinheiro não dá em àrvore e tão pouco cai do céu (aqui do céu só cai chuva e neve) resolvi "dar a cara à tapa" ou melhor dar soja à cara. Para ajudar, há dias que me sinto inchada como um balão de festa infantil, costumo fazer piada dizendo que poderia ser a “Chica Repsol”…risos – uma espécie de garota propaganda da companhia de gás espanhola – o incrível é que tenho mantido uma alimentação sana e sem excessos, apesar de não abrir mão do café pelas manhã, chocolates em alguns dias e vinho sempre que a refeição peça. Nós mulheres somos inconstantes por natureza, tem dias que nos vemos no espelho – em especial os de provadores de lojas, que são cruéis – e nos sentimos a mais gorda, a mais feia do planeta, risos… noutros dias olhamos e dizemos a nós mesma: “Estou muito bem. Melhor que muitas!”… verdade seja dita “a culpa é dos hormônios”, os homens nao têm nada disso. Como diria o amigo Hideki sobre as conversas femininas “perfumaria, pura pefumaria”. Mas... só as mulheres podem compreender o que estou falando.

"Salão de Beleza" música de Zeca Baleiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela visita e comentário. Em breve seu comentário será publicado.

Outras viagens que podem interessar:

Related Posts with Thumbnails