Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

E... Colombo chegou à América.


Alcázar de Los Reyes Cristianos en Córdoba. Os reis espanhóis recebem Cristóvão Colombo (foto_Meg Mamede)


(...) e foi deslumbrante ver o arvoredo, o frescor das folhagens, a água cristalina, as aves e a amenidade do clima. Vontade tenho de não mais sair daqui. E, para descrever aos reis as coisas que vi, não bastariam mil línguas ou mil mãos para escrever, pois parecíamos encantados... E logo apareceu gente nua e todos que vi eram jovens, muito bem-feitos; os cabelos grossos como crinas de cavalo... E se pintam de preto e vermelho e são da cor dos canários, nem negros nem brancos. Não andam com armas, que nem conhecem, pois lhes mostrei espadas que pegaram pelo fio e se cortaram, por ignorância, sorrindo encantados para nossos guizos e miçangas (...)


(trecho dos Diários de Cristóvão Colombro)


Hoje 12 de Outubro, Espanha e outros países latino americanos, a exceção do Brasil, comemoram “el dia de la Hispanidad”, mesmo com controvérsias e mágoas perpetradas ao longo dos 517 anos do “descobrimento” e colonização das terras nomeadas América – em homenagem a Américo Vespúcio - o dia é de comemoração. Verdade é que o povo gosta mesmo de festa, seja na 5ª Avenida de Nova York, onde a comunidade hispânica ostenta com orgulho bandeiras e trajes típicos, seja no País Basco, onde o desejo de independência é uma utopia mas o feriado prolongado é bem vindo e ainda nos países da América Latina onde as comemorações têm características e motivações próprias.

Cristóvão Colombo (1451-1506), navegador genovês, inspirado por navegadores como Marco Pólo e suas viagens, encontra apoio para sua empreitada nos Reis Católicos de Espanha, Fernando V de Aragão (1452-1516) e Isabel I de Castela (1451-1504) já que italianos e portugueses não quiseram financiar seu projeto. Em 6 de setembro de 1492 Colombo parte do Porto de Palos na Espanha e depois de cinco semanas de viagem e vários problemas decorridos desta, chega as terras que chamariam de América no dia 12 de outubro de 1492. A expedição chega onde provavelmente hoje se localizam as Bahamas, passando depois pelo que atualmente corresponde aos territórios de Cuba, Haiti e República Dominicana.

O feito de Cristóvão Colombo é de fundamental importância para nossa história. Com sua chegada à América ele consegue naquele tempo, unificar o planeta, já que ao chegar ao Caribe – imaginando estar na Índia - havia aproximadamente nove milhões de nativos no hemisfério ocidental, os quais, não faziam idéia da existência do hemisfério oriental. Por outro lado, os próprios europeus não imaginavam haver um continente a oeste. Hemisférios tão distintos entre si e independentes, que naquela época era como se fossem verdadeiramente separados. Colombo ainda faria mais viagens de colonização com apoio da coroa Espanhola, morrendo em 1506 sem ter atingindo a Ásia. Suas “descobertas” foram recebidas com entusiasmos por parte do governo da Espanha, que prosseguiu com o processo de exploração e colonização das terras. É então que surgem as expressões “Novo Mundo” e “Velho mundo” que até hoje ouvimos.

Lendo alguns textos, percebi que o dia de hoje suscita discussões e sentimentos dos mais variados: alegria, euforia, nostalgia e também lugar para protesto, rancor, desdém e outros adjetivos. De um lado a figura dos destemidos navegadores e dos conquistadores impiedosos, do outro os dóceis gentis e povos autóctones massacrados, clamando por justiça e querendo de volta o que lhes foi tomado. Eu me pergunto: - Nesse processo todo, há de fato vencedores e vencidos? Como bem explorou o Prof. Leandro Karnal em uma aula sobre América… Não seria essa questão mais um axioma historiográfico?

O que ganhamos e o que perdemos nós latino-americanos com a viagem de Colombo?

Não vim aqui para esclarecer ou dar respostas, vim para provocar… provocar algo de reflexão. Além da opinião dos outros - a qual podemos aceitar ou não -, formulemos a nossa própria, os fatos estão aí para que qualquer um possa analisá-los e chegar a síntese própria. Como diria Descartes “Penso, logo existo” e… depois de pensar, relaxe ao som de Vangelis e a bonita trilha sonora do filme “1492 A conquista do Paraíso” do Ridley Scott (1992).



Comentários

  1. "NAVEGADOR GENOVÊS"...!?
    Pelo amor da Santa!...
    Dê uma espreitadela pela minha página, lá encontrará, entre outras coisas, a reprodução de documentos conhecidos há décadas, sobre Cristóvão Colon.
    Quanto ao seu último parágrafo, também gosto muito da música de Vangelis no 1492, embora não goste tanto das infindáveis incorrecções históricas contidas no filme, mas enfim...

    ResponderExcluir
  2. Olá Pedro, como disse no texto não vim dar respostas a nada, sei que há outras versões para origem de Colombo, que bom que há polêmica a respeito, apenas elegi uma delas. Quanto filme, não o citei como fonte histórica, se há ou não equivocos históricos, bem, sempre haverá... cabe a cada um aceitar o acreditar no que queira... minha referência é à trilha do filme, puro entretenimento. Obrigada por sua contribuição e comentário. Abs.

    ResponderExcluir
  3. GOstei tanto da sua polemica que vou fazer um trabalho de diario de bordo nas grandes navegações...

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigada pela visita e comentário. Em breve seu comentário será publicado.

Postagens mais visitadas